domingo, 9 de novembro de 2014

A Queda do Muro de Berlim! Já Faz 25 Anos!


















Muitos hoje têm dificuldade de lembrar. Nossos jovens só enxergam isso nos períodos que a Historia obriga-os estudar sobre isso.  Para eles estas barreiras num mundo globalizado, em que um enter me faz andar léguas e léguas, ficam impossíveis conceber.
Mas existiu sim, construído em agosto de 1961, fruto de uma Europa dividida pós Segunda Guerra Mundial, entre capitalistas e socialistas, o lado ocidental controlado por Estados Unidos, Inglaterra e França, e posteriormente por Estados Unidos e o lado oriental pela União Soviética.
Com o crescimento do lado ocidental transformando a Alemanha entre as nações mais ricas do mundo, e somando a isso a liberdade de expressão, coisas que no lado oriental não era possível.  Mas o atraso tecnológico e dificuldades econômicas fruto do alinhamento soviético que sofria os desgastes profundos da burocracia.
O Muro de Berlim foi construído com intuito de conter as fugas de alemães do lado oriental para o ocidental atrás de melhores oportunidades e democracia.
Veja um relato triste da construção do muro:
                         “Vinte e oito anos e 91 dias”, diz um homem de trinta e muito anos, voltando a pé pela Friedrichstrasse acima. Vinte e oito anos e 91 dias desde a construção do Muro.  Naquele dia, em agosto de 1961, os pais dele queriam ter ido ver um filme de faroeste em uma sessão tardia de cinema de Berlim Ocidental, mas o filho de 11 anos deles estava cansado demais.  De madrugada, eles acordaram com o barulho dos tanques.  Ele nunca mais fora a Berlim Ocidental, desde aquele dia.  – Timothy Garton Ash. Nós, o povo: a revolução de 1989 em Varsóvia, Budapeste, Berlim e Praga. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

Na visita de Gorbachev em outubro de 1989, no 40° aniversário da República Democrática Alemã ou Alemanha Oriental, num discurso a jovens estudantes ele profere tais palavras proféticas “Um governo que não muda com a vida está condenado ao desaparecimento”. Uma observação que não passou em branco.
Com a Glasnost de Gorbachev na URSS, nasce um movimento no lado oriental exigindo melhor qualidade de vida, “Wir sind das Vilk” (O povo somos nós) que no dia 09 de novembro de 1989 culmina com a derrubada do famigerado muro.
Para a maioria dos historiadores é fim do mundo bipolarizado, e o novo recomeço para os alemães que reencontram amigos e familiares e reconquistam sua liberdade.
Para os governantes o desafio de uma Alemanha única e forte que atenda os anseios de seu povo.

Para o mundo a vitória da Liberdade! Um marco do poder de homens que exigem suas liberdades.



Henrique Rodrigues Soares - História Contemporânea.

Postar um comentário